Negócios e Serviços

A importância da vacinação de equinos – Top 5 anos

c-cavalos

Numa descontraída conversa de final de tarde na Clínica de Cavalos, o Médico Veterinário Dr. Paulo de Tarso e Dr. Lucas Silveira, falaram ao Blog Valéria & Você da importância da vacinação do equino e de alguns aspectos das doenças.

Dr. Paulo de Tarso e Dr. Lucas Silveira esclarecem que o cavalo como qualquer outro animal, necessita ser vacinado com o intuito de evitar doenças que muitas vezes causam sérios transtornos, podendo levá-lo até a morte.  Quando o animal é vacinado, o seu organismo tem a oportunidade de prevenir a doença sem os riscos da própria infecção. É essencial saber que existe uma grande diferença entre “vacinar” e “aplicar vacina”. Vacinar é tão somente espetar o animal com a agulha e introduzir o líquido embaixo da pele, enquanto que aplicar a vacina significa proceder de maneira tal, com os produtos biológicos adequados (vacinas de boa procedência), para que se tenha a certeza que o animal produzirá anti-corpos e estará protegido contra as doenças infecciosas.

Entre as doenças que os equinos são acometidos, as que apresentam respostas às vacinações podemos destacar:

TÉTANO: doença causada pela bactéria clostridium tetani, atinge a todos os animais domésticos. O equino é o mais susceptível para a doença. Apesar da bactéria ser encontrada normalmente no seu trato digestivo, ou no solo contaminado pelas fezes, ele não consegue criar uma imunidade contra esta bactéria. A via de entrada no organismo é através de ferimentos com perfuração profunda onde o microorganismo se desenvolve em ambiente de pouco oxigênio (anaerobiose). Os sintomas mais característicos são o prolapso da terceira pálpebra, orelhas de porte ereto, cauda embandeirada e posição de cavalete do equino. O animal morre por asfixia devido à paralisação do diafragma.

c1
ENCEFALOMIELITE:
Doença virótica, que clinicamente caracteriza-se por sintomas relativos a transtornos de consciência, irritação motora e paralisia no equino, podendo também atingir ao homem. A doença é confirmada mediante exame sanguíneo. Apresenta três fases: Nervosa, Depressão e a da Paralisia.

RAIVA: Também conhecida como Hidrofobia, é uma infecção a vírus com alto índice de mortalidade, que atua no sistema nervoso central, acometendo todos os animais de sangue quente. Ë um vírus que atinge somente o tecido nervoso. A fonte de infecção é sempre um animal contaminado, que transmite a doença através da mordedura ou a contaminação de feridas da pele com saliva fresca. Os equinos geralmente apresentam excitação e agressividade, suas ações são incontroladas, muitas vezes violentas e perigosas e compreendem corridas cegas, quedas repentinas e rolar no solo; pode ocorrer mordedura da pele do próprio animal.

LEPTOSPIROSE: É transmitida normalmente por um animal infectado que contamina as pastagens, água e alimentos através da urina, fetos abortados e secreções uterinas infectadas, manifestando-se clinicamente através da icterícia das mucosas, oftalmia periódica, aborto nas éguas no terço final da gestação. A doença pode ser transmitida ao homem.

INFLUENZA: Doença causada por um vírus, caracteriza-se por febre branda e tosse grave persistente. Sua transmissão ocorre através da inalação de gotículas sobre curtas distâncias, porém pode-se dar através de objetos contaminados. Trata-se de uma doença que não é muito grave desde que o animal esteja em boas condições físicas, mas como toda doença pulmonar requer cuidados, pois pode tornar-se perigosa quando associada a outras bactérias que podem atingir ao organismo do animal.

c2
GARROTILHO: causa inflamação do trato respiratório superior e abscessos nos linfonodos adjacentes. É transmitida através da descarga nasal de animais infectados, que contamina o pasto, alimentos e água. Pode atingir grande número de animais, mas normalmente não leva o animal a óbito. Apresenta um corrimento nasal seroso, abundante e purulento, além de uma faringite e laringite, o que torna difícil para o animal alimentar-se e até mesmo beber água. Pode manter a cabeça estendida para aliviar a dor da garganta que é facilmente comprovada mediante apalpação. A infecção pode se espalhar por todo o organismo através da rede linfática, vindo a formar abscessos em várias regiões.

RINOPNEUMONITE: Doença causada por um vírus, manifesta-se causando aborto em éguas (normalmente no terço final da gestação), problemas respiratório do trato superior (febre, conjuntivite, tosse e catarro brando) e alterações neurológicas (paralisia) . A transmissão se dá provavelmente através da inalação de gotículas infectadas ou pela ingestão de material contaminado por corrimentos nasais ou fetos abortados. Por ser uma doença que se manifesta de várias formas, pode ser confundido com outras doenças, sendo o exame laboratorial o melhor meio de diagnóstico.

É bom esclarecer que muitas dessas doenças, apresentam sérios transtornos tanto para o animal como para o homem, sendo assim, a vacinação é a maneira mais eficiente e barata que se pode oferecer aos nossos animais.

É essencial:

1) A vacinação do equino ser repetida anualmente.

2) Todos os equinos receberem a vacinação; os potros, normalmente a partir do 4º mês de idade; éguas prenhas; animais em serviço; de esporte; em fim, todos os equinos independentemente da idade ou da atividade do animal.

3)Saber que a vacina é de responsabilidade do Médico Veterinário, não podendo ser aplicada por  outra  pessoa, pois somente o Médico Veterinário está apto a examinar o  animal  e saber se este está livre de qualquer enfermidade que possa prejudicar a imunização.

IMPORTANTE: Para a proteção de seu animal é de extrema importância que um Médico Veterinário seja consultado para o examinar e prescrever as vacinas necessárias. Com isso você zela pela sua saúde e pela saúde do seu animal.

Valéria de Fátima

Selecionar arquivos


Publicidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *