Agenda

Em Gravatá, caminhada chama a atenção para a luta contra o Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

Fotos: SECOM

E no entardecer da quinta-feira, 18 de maio, ruas do centro de Gravatá foram tomadas por crianças, adolescentes, jovens e adultos na caminhada que marcou a culminância de ações.

Ações que estão sendo realizadas durante todo mês de maio em Gravatá, e que estão voltadas para a conscientização ao combate do abuso sexual e exploração de crianças e adolescentes.

A concentração da caminhada organizada pela Prefeitura de Gravatá, por meio da Secretaria de Assistência Social e Juventude, com adesão das Secretarias Municipais de Educação, Mulher e Saúde, aconteceu às 15h30 na Estação do Artesão e contou com a participação de cinco instituições da sociedade civil da cidade, como GAMR, ODIP, SERC, Pro Ludus, Círculo Operário e Fábrica de Cultura, toda a caminhada teve o batuque contagiante do Centro Cultural Sol Brilhante do Sítio Caroá e de equipes de segurança da Guarda Civil Municipal.

A caminhada que começou com a faixa de slogan da campanha “Faça Bonito – Proteja nossas crianças e adolescentes”, contou com centenas de participantes, estre eles, muitos levavam faixas, cartazes, brinquedos e balões laranjas, até a Praça Pedro Joaquim de Souza (Praça 10).

Durante o percurso da caminhada, falas chamavam a atenção da sociedade para a gravidade do problema e alertar sobre a necessidade de proteger nossas crianças e adolescentes.

Os participantes da caminhada tiveram a oportunidade de unir forças e dizer não à violência sexual e sim à proteção dos nossos pequenos. Além disso, a caminhada promoveu a conscientização sobre a importância de denunciar casos de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes. Afinal é dever de todos garantir que as crianças cresçam em um ambiente seguro e saudável.

O dia 18 de maio foi escolhido como data nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes porque em 18 de maio de 1973 foi encontrado, no Espírito Santo, o corpo de Araceli, uma menina de oito anos que foi sequestrada, violentada e cruelmente assassinada.

Todo dia é dia de proteger crianças e adolescentes da violência sexual, mas o dia 18 representa o histórico dessa luta.


Publicidade