Gente

Entrevista com André Fernandes – O advogado, secretário de Administração, homem, marido, pai e amigo, com um apurado senso de responsabilidade. Que hoje faz aniversário!

André Fernandes.

O blog valeriaevoce teve a honra de bater um papo com André Fernandes. Um homem apaixonado pela sua família que, ao ingressar no Banco do Nordeste, fez mais do que uma escolha profissional: comprometeu-se em contribuir para o desenvolvimento sustentável da nossa região, a transformação de nossa realidade e a construção de um futuro melhor.

Paralelamente ao seu crescimento profissional, André Fernandes tem uma linda história de vida, permeada de amor, conquistas, vitórias e aprendizados.

Confira abaixo uma entrevista surpreendente com o advogado, secretário de Administração, homem, marido, pai e amigo André Fernandes.

V&V: Quem é o profissional André Fernandes?

André Fernandes: Sou um bacharel em direito pela Universidade Federal de Pernambuco – UFPE, desde 2000, mesmo ano em que iniciei minha carreira profissional no Banco do Nordeste, como advogado de carreira, após aprovação em concurso público. Atualmente, a convite do prefeito de Gravatá, padre Joselito Gomes, desempenho a missão de estar à frente da Secretaria de Administração do município.

V&V: Fale da sua carreira profissional, que começou há 21 anos.

André Fernandes: De maneira geral, toda minha vida profissional é dedicada ao serviço público. O Banco do Nordeste é uma sociedade de economia mista federal e me ensina, desde meu primeiro dia de trabalho, a ter atenção e foco direcionados para a melhoria da vida do cidadão que paga meu salário. Aqui em Gravatá, como secretário de Administração, desejo em primeiro lugar deixar um legado de valorização dos servidores, pois a administração pública municipal é um grande banco de talentos de pessoas qualificadas, que precisam ser motivadas, reconhecidas e respeitadas em toda sua potencialidade. Também me dedico a contribuir para a modernização da gestão pública, para que a máquina administrativa atue respeitando normas, observando preceitos de legalidade, impessoalidade e moralidade, totalmente voltada para a prestação de serviços com eficácia, eficiência e, sobretudo, qualidade ao povo de Gravatá.

V&V: Quais as competências da secretaria de Administração?

André Fernandes: A secretaria de Administração tem como competências legais, precipuamente, cuidar da política e gestão de pessoal do município, de seu patrimônio, das licitações, contratos e compras públicas para aquisição de bens e contratação dos serviços que a população de Gravatá deseja e merece receber do poder público local.

V&V: Três elementos essenciais na vida profissional do secretário André Fernandes.

André Fernandes: Comprometimento, foco em resultado e ética.

V&V: O trabalho da secretaria de Administração depende de outras secretarias?

André Fernandes: Depende bastante. Mas as outras secretarias dependem muito da secretaria de Administração também. Eu diria que a gestão pública municipal tem um coração técnico que compreende a secretaria de Administração, a de Finanças, a Controladoria-Geral, a Coordenadoria de Tecnologia e Informação e outras unidades que trabalham hoje em perfeita integração e harmonia. Os serviços que essas áreas prestam muitas vezes não são percebidos diretamente pelo cidadão, que tem mais contato com a Saúde, Educação e a Assistência Social, por exemplo. Mas trabalhamos todos juntos para que a arrecadação do dinheiro público que vai ser gasto ocorra, a máquina como um todo funcione, as contratações sejam realizadas e, ao fim, a prestação dos serviços aconteça do jeito que o cidadão gravataense deseja. Então, eu diria que há um caráter de transversalidade que permeia todo o agir da Administração. Digamos que, se Finanças, Administração e Controladoria funcionam bem, talvez o usuário dos serviços públicos não perceba, mas ele certamente vai perceber se nós trabalharmos mal. Então, com discrição, fazemos com que o servidor público receba o seu salário em dia, o produto de arrecadação do município aumente e que tenhamos melhores controles administrativos para corrigir uma série de distorções históricas no jeito de gerir a coisa pública em Gravatá.

V&V: Então podemos dizer que a secretaria de Administração e essas outras unidades contribuem para que as áreas sociais prestem seus serviços?

André Fernandes: Exatamente. Contribuímos para que existam recursos e a máquina administrativa funcione para que sejam prestados os serviços de saúde, educação e assistência social. Desse jeito, o povo de Gravatá pode comprovar que, realmente, o nosso compromisso é com as pessoas.

V&V: Por isso que uma das prioridades da secretaria de Administração é o pagamento em dia dos salários dos servidores?

André Fernandes: Claro. O prefeito Padre Joselito e sua equipe assumiram um compromisso de buscar todas as maneiras possíveis pagar o salário do servidor público em dia e dentro do mês. Estamos honrando esse compromisso e, se Deus quiser, pretendemos continuar a cumpri-lo até o fim do governo. Isso vai enraizando na cultura do servidor público municipal, criando aquela convicção de que ele pode planejar suas compras e o seu orçamento doméstico. Desse modo, quando ele recebe até o último dia útil do mês, ele não vai nem lembrar que esse trabalho é da secretaria de Administração. Mas pode ter certeza de que, se o pagamento não acontecer no dia prometido, ele vai lembrar que a gente existe (risos).

V&V: Você está feliz com o trabalho que está sendo realizado pela secretaria de Administração?

André Fernandes: Muito. Lógico que ainda há bastante a ser feito, mas os frutos do trabalho começam a ser colhidos. Mas é importante dizer que estou há muito pouco tempo por lá e, sem dúvida, o mérito maior é de todo o pessoal do gabinete, dos Recursos Humanos, das Licitações, das Compras, dos Contratos, do Almoxarifado, profissionais qualificados e comprometidos de todas as áreas da secretaria, que vêm se empenhando para cumprir a confiança depositada em nós pelo prefeito Padre Joselito e, evidentemente, pelo povo de Gravatá. Sou muito grato a toda a nossa equipe.

V&V: Há uma mudança de rumo no jeito de trabalhar na secretaria de Administração?

André Fernandes: Existia, em um passado não muito distante, uma cultura de atrasos no pagamento de servidores públicos de Gravatá. Em determinados momentos históricos, alguns líderes políticos que estiveram à frente de nosso município escolhiam pagar preferencialmente fornecedores amigos ou doadores de campanha e deixavam os servidores em segundo plano. Hoje, atravessamos um momento de inversão de prioridades por deliberação do prefeito e por entusiasmo de todo grupo que o ajudou a chegar à Prefeitura Municipal. Agora, nosso compromisso é com as pessoas, é com os mais carentes dos bairros mais pobres e distantes. Por isso que a secretaria de Administração vem trabalhando dia e noite, para que a gestão honre o seu compromisso e pague religiosamente em dia o salário dos nossos servidores públicos.

V&V: Como é fazer parte de uma gestão que busca melhorar a qualidade de vida dos gravataenses e gerar emprego e renda?

André Fernandes: Essa é uma pergunta muito boa e importante. Eu tenho a imensa honra e gratidão de gozar da confiança do prefeito Padre Joselito. Ele me chamou para o ajudar na coordenação da campanha, enquanto ainda candidato, e dei minha contribuição para que a vitória acontecesse. A vitória aconteceu e ele não me deixou comemorar, nem descansar (risos). De imediato, disse que ainda precisava de mim na Comissão de Transição Municipal. Participei desse processo, realizado com imensas dificuldades em virtude de obstáculos criados por quem foi rechaçado nas urnas pelo povo, não queria passar as informações determinadas por lei e se esforçava para inviabilizar os primeiros dias da nova gestão. Por último, no final do ano passado, o prefeito Padre Joselito me fez o convite para fazer parte da sua equipe e me deu os delineamentos pelos quais ele queria gerir o município dali por diante. E o comprometimento dele na nossa conversa foi sempre estritamente dentro do interesse público. Ele me expôs que queria um governo comprometido com as pessoas, com o olhar para o mais carente. O prefeito tem uma expressão que diz mais ou menos assim: “O meu olhar daqui por diante, o olhar do poder público municipal, é para as pessoas que no passado eram invisíveis para os outros governantes”. Para que você tenha uma ideia, nós chegávamos a ouvir em muitos bairros durante a campanha as pessoas dizendo: “Vocês estão passando por aqui como todos os outros só agora, mas, de janeiro em diante, o senhor não vai voltar. Nem o senhor, nem nenhum desses daí que estão junto do senhor. Já ouvimos essas conversas várias vezes”. Naquele momento, a gente sabia que tinha um compromisso de inversão de prioridades e de buscar o atendimento daquelas demandas que tinham sido apresentadas. Até porque só aceitei ajudar o prefeito Padre Joselito a se eleger por acreditar nele e em seu pacto com o povo. Entre as demandas apresentadas, três foram muito presentes, saúde em primeiro lugar, geração de empregos e atenção aos bairros mais pobres.

V&V: E os resultados já estão aparecendo?

André Fernandes: Graças a Deus, até mais rapidamente do que imaginávamos. Em poucos meses, pouco mais do que cem dias de gestão, a gente consegue apresentar à cidade uma Clínica da Mulher, retoma as atividades para construção e inauguração da UPA e, o que eu considero um feito histórico para nossa gente, os dez leitos de UTI inaugurados, com possibilidade de ampliar esse serviço. No campo específico de geração de empregos, que você bem questionou, temos excelentes notícias, sem perseguição a nenhum empreendedor, como a retomada da construção de um posto de gasolina, a chegada de uma empresa de prestação de serviço de internet, que vão gerar empregos e serviços de qualidade, e a chegada de um grande empreendimento, um grande atacado, que tem o seu processo de licenciamento tomado como prioridade. E esses empreendimentos têm o compromisso de que as oportunidades de trabalhos geradas sejam para os cidadãos de Gravatá, principalmente os mais jovens, que serão devidamente capacitados e não terão mais que deixar a terra que amam para poder trabalhar e sobreviver. A construção civil também está “destravando” e, com isso, pais de família que trabalham como pedreiros, encanadores, eletricistas, mestres de obras estão voltando a ter trabalho e renda na retomada dessa atividade que é muito importante para a economia de nossa terra.

V&V: Está satisfeito de fazer parte desse momento tão especial?

André Fernandes: A satisfação de participar desse momento histórico é muito grande, porque a gente saí da conversa fiada, da mentira para a prática. Eu nunca vi um político se eleger dizendo: “Eu quero ser eleito para fazer o mal, para perseguir, para proteger meus amigos, para levar o seu dinheiro” (risos). Todos são cordeirinhos na campanha e se elegem com discursos semelhantes. O que faz a diferença num homem, numa mulher de bem, são as suas ações. E ao longo desses cem dias de governo o prefeito Padre Joselito e sua equipe têm a comprovação de que o povo de Gravatá está satisfeito porque os compromissos que assumimos estão sendo honrados e muitas outras realizações ainda virão.

Dando continuidade ao bate papo, com o bacharel em Direito pela Universidade Federal de Pernambuco – UFPE, pós-graduado em Direito Civil pela Universidade Cândido Mendes e mais jovem advogado de carreira a ingressar no Banco do Nordeste (empresa em que é professor de sua Universidade Corporativa) e que hoje atua como secretário municipal de Administração de Gravatá. O blog valeriaevoce conheceu um pouco mais do homem André Fernandes, e te conta tudinho..

Na época de sua formação em Direito, o jovem André Fernandes entrou na faculdade aos 16 e concluiu o curso aos 21 anos, ingressando diretamente na instituição Banco do Nordeste, pois tinha sido aprovado em concurso público antes mesmo de colar grau.

V&V: O que o Banco do Nordeste representa para a sua vida?

André Fernandes: Devo à instituição Banco do Nordeste todo o meu crescimento profissional. Foi lá onde aprendi a ter responsabilidade com os recursos públicos, com a geração de emprego, renda e com o crescimento sustentável de nossa região tão sofrida. Sinto muito orgulho por fazer parte de uma geração que ajudou a transformar o Banco do Nordeste no maior banco de desenvolvimento regional da América Latina, com presença muito forte em toda a nossa área de atuação e líder no país na concessão de microcrédito, através dos programas Crediamigo e Agroamigo. No Banco do Nordeste, além de advogado, sou professor de sua Universidade Corporativa, participei de diversos projetos especiais e exerci, durante alguns períodos, funções de gestão até que, no final de 2020, recebi o convite para liderar a secretaria de Administração de Gravatá durante a atual gestão, convite aceito com muito entusiasmo e senso de responsabilidade.

V&V: Como André Fernandes chegou a Gravatá?

André Fernandes: Minha família teve um empreendimento aqui em Gravatá durante alguns anos, que foi a Água Mineral Real. Por conta disso, meu pai em determinado momento tomou a decisão de trabalhar e morar em Gravatá. Como ele sempre teve a ideia de morar no interior, aproveitou a oportunidade, realizou seu sonho e trouxe toda a família junto. Nessa época, eu tinha dez anos de idade.

V&V: Para André Fernandes que chegou a Gravatá aos dez anos de idade e atualmente é o secretário de Administração do município, o que significa proporcionar aos gravataenses novos horizontes através da sua secretaria?

André Fernandes: Sou eternamente grato a Gravatá por tudo que sou e o que essa linda terra que eu tanto amo me deu. É o lugar onde conheci a mulher que eu amo, vivem minha mãe e meu pai (por reconhecimento de nossa Câmara de Vereadores, cidadão gravataense), meu irmão, onde tenho meus melhores amigos e me sinto muito feliz. O meu vínculo com Gravatá é muito forte desde sempre e, como eu devo tudo de bom que aconteceu na minha vida a Gravatá, tenho a exata dimensão da responsabilidade de fazer o que estiver ao meu alcance para ver a minha cidade crescer e se desenvolver. Vou dedicar todo o melhor de mim para, sob a liderança do prefeito Padre Joselito, ajudar Gravatá a ser uma cidade mais justa, mais fraterna, um lugar em que as pessoas não morram em filas de hospitais e em que os jovens, como o meu filho, não precisem abandoná-la por não ter empregos, nem perspectivas. No fundo, é um compromisso com minha família e com as famílias de Gravatá, que sonham com uma cidade ordeira, com qualidade de vida, sustentabilidade, educação e empregos, liberta de amarras e de brigas por interesses políticos ou privados mesquinhos.

V&V: Nome:

André Fernandes: André Luiz de Castro Fernandes.

V&V: Local e data de nascimento:

André Fernandes: No Recife, em 09 de maio de 1979.

V&V: Pai, mãe e irmão:

André Fernandes: Meu pai é o economista Gláucio Fernandes e minha mãe a professora Maria José (Maié) Fernandes. Meu único irmão é o advogado Roberto Fernandes.

V&V: Onde você cresceu?

André Fernandes: Cresci no Recife até os 10 anos. Lá, tive uma infância maravilhosa com travessuras, tombos, descobertas e aprendizados. Gostava muito de bicicleta, de bola, mas confesso que era ruim demais de futebol (risos). Nesse tempo, aperreei muito D. Maié, minha mãe (risos). Quando vim morar em Gravatá, tive a oportunidade de estudar no Colégio Salesianas, da 6ª à 8ª série, e de criar fortes laços de amizades, a maioria dos quais dura até hoje. Aos 11 anos, conheci aqui a mulher que é o amor da minha vida.

André Fernandes e seu anor “Clarinha”, sua esposa.

V&V: Gostei da expressão “amor da minha vida”. Nos conta um pouco mais desse amor.

André Fernandes: O amor da minha vida é a psicóloga Clara Fernandes, que eu carinhosamente chamo de Clarinha. Eu a conheci aos 11 anos de idade, aqui em Gravatá e foi um amor à primeira vista (risos), que ficou guardado para o futuro. Quando ela, depois de morar um tempo no Recife, retornou a Gravatá, éramos os melhores amigos um do outro até o dia em que o sentimento do melhor amigo transformou-se num amor maior e, após uma conversa esclarecedora, começamos a namorar quando eu tinha 20 anos. A gente depois noivou e se casou em 10 de dezembro de 2005, numa noite inesquecível para mim até hoje.

V&V: Como foi a adolescência de André Fernandes?

André Fernandes: Uma adolescência intensa, de um jovem que saía muito, curtia com os amigos barzinhos, noites, viagens e liberdade. Aqui em Gravatá eu gostava das noites do CDG, Acalanto, O Gordo e o Magro. Porém, foi também a adolescência de alguém que sabia onde queria chegar. Meus momentos de lazer são intensamente de lazer. Mas a hora de levar a vida a sério e focar no que eu quero, era e é com a mesma intensidade. Assim, após concluir o ensino médio no Colégio Exatus, em Caruaru, passei muito jovem num vestibular de um curso muito concorrido numa universidade de prestígio. Pelo mesmo motivo, antes mesmo de concluir o curso aos 21 anos, prestei concurso para o Banco do Nordeste e já estava aprovado antes da colação de grau.

V&V: Casado?

André Fernandes: Muito bem casado com Clara Fernandes há mais de 15 anos. Sinto-me muito privilegiado por ter a meu lado uma mulher cúmplice, parceira, companheira, verdadeira, inteligente e confidente. Clarinha é a mulher que eu amo, é minha melhor amiga, a melhor mãe que eu conheço, quem me completa profundamente e com extrema intensidade.

Vini e Simba, os filhos amados de André Fernandes

V&V: Pai?

André Fernandes: Pai de Vinícius, de 13 anos. Um cara politizado, ambientalista, vegano e grande amante dos animais.  Vini é um menino muito inteligente, preocupado com a sustentabilidade do planeta, com o bem-estar do próximo, militante das boas causas que ele entende como justas. Tem um coração muito generoso, muito compreensivo com o outro, e isso me dá um baita orgulho. Ver um filho crescendo com uma solidez muito grande de valores, deixa a gente com a certeza de que o trabalho que nos dispomos a fazer em sua educação e orientação está sendo bem feito e gerando frutos. Clarinha e eu não queremos que ele pense igual a nós. Nós queremos que ele pense e se desenvolva, e que tenha as suas próprias ideias, pautadas nos seus sólidos valores. Meu outro “filho” é Simba, um cachorro Golden Retriever virado e de uma alegria contagiante.

V&V: Memória afetiva do tempo de namoro com Clara.

André Fernandes: A primeira viagem num período carnavalesco. Foi quando entendi o recado do meu coração de que minha vida tinha mudado, pois a mulher que eu esperava tinha chegado, estava na minha frente e eu precisava ter noção da responsabilidade. Tive cedo certeza de que ela era a mulher com quem eu queria firmar um projeto de vida, construir um lar e edificar uma família juntos.

V&V: Três coisas que o casamento ensinou:

André Fernandes: Responsabilidade, lealdade e o compartilhamento de sonhos. Quando o casal se ama, tudo deixa de ser “o meu”, “o seu” e passa a ser “o nosso”.

V&V: Estar em família:

André Fernandes: A coisa mais importante, o meu esteio, a minha base. Eu me esforço muito para colocar em prática ensinamentos dos meus pais, principalmente em relação à educação do meu filho, prioridade absoluta para Clarinha e para mim. Sou abençoado por ter nascido num lar de um homem trabalhador, descente e de uma mulher que me deixa um legado de valores como honestidade, seriedade, compreensão, que me ensinaram a não fazer ao outro o que não quero que façam para mim, além dos valores de ordem religiosa. Igualmente, me orgulho da família que edifiquei com Clarinha, pautada em valores, harmonia e muito amor.

V&V: Programa preferido em família:

André Fernandes: Nesses tempos de pandemia, não estamos conseguindo sair para jantar, tomar um sorvete, viajar, entre outras coisas que gostamos tanto. Hoje, meu tempo é quase todo devotado a ficar em casa com a minha família, porque gostamos de estar e curtir bons momentos juntos.

V&V: Viagem inesquecível:

André Fernandes: Gramado.

V&V: Deus:

André Fernandes: Tudo na minha vida. Valor supremo.

V&V: Família:

André Fernandes: Base de tudo de relevante que a gente edifica.

V&V: Amigos:

André Fernandes: Os meus poucos amigos de verdade são irmãos que nasceram fora do ventre de D. Maié.

V&V: Mania:

André Fernandes: Perfeccionismo.

V&V: Alegria:

André Fernandes: Relaxar um pouquinho vendo meu Sport ganhar.

V&V: Saúde:

André Fernandes: Pressuposto para que tenhamos uma vida feliz. A saúde é um bem que infelizmente muitas pessoas só valorizam quando perdem.

V&V: Viver:

André Fernandes: É uma dádiva, um presente de Deus para ser aproveitado com intensidade.

V&V: Sabedoria:

André Fernandes: Gosto de conversar muito e aprender com cada pessoa um pouco da sabedoria que ela traz com ela. Todo ser humano tem algo a me ensinar e isso é uma das coisas fantásticas dessa vida.

V&V: Sonhos:

André Fernandes: O maior sonho realizado, sem dúvida, foi o de ser pai. E o sonho a realizar é ver aquele gurizinho que eu peguei no braço chorando ter a mesma alegria que eu quando o filho dele nascer. Ah! E que ele também tenha a sorte de encontrar uma companheira como a que eu encontrei, com quem ele possa construir uma família e edificar um lar.

V&V: Orgulho:

André Fernandes: No dia da minha formatura, o brilho dos olhos da minha mãe (emocionado). Aquela felicidade que eu vi estampada nos seus olhos me dizia que tudo que minha mãe tinha deixado de fazer por ela mesma para fazer por mim tinha valido a pena.

V&V: Reflexo:

André Fernandes: Eu diria mais ou menos o seguinte: a gente não joga uma semente de uva no caminho para ver nascer um pé de jaca (risos). A vida nos proporciona escolhas, mas, ao mesmo tempo, cada escolha tem uma consequência. Então, dizia o filósofo Ortega y Gasset, “eu sou eu e minhas circunstâncias”. O retorno que eu recebo, a avaliação, o julgamento que as pessoas têm de mim é reflexo do homem que eu sou no dia a dia como profissional, como pai de família, como amigo. Da trajetória que eu construí com seriedade, com ética, com honestidade, da qual muito me orgulho.

V&V: Conquista:

André Fernandes: Poder ter uma vida tranquila junto a minha família, muito mais preocupado em ser do que em ter.

V&V: Desafio:

André Fernandes: Chegar ao final dos quatro anos de gestão do prefeito Padre Joselito com a sensação do dever cumprido.

V&V: Perdão:

André Fernandes: Dom divino, muitas vezes difícil de ser dado, mas algo necessário de se oferecer a alguém que esteja verdadeiramente arrependido de um mal que tenha causado.

V&V: Rancor:

André Fernandes: Eu não vou levar a pessoa que me fez mal para viver junto a meus familiares e dentro da minha casa (risos). Mas também não sou de desejar mal, não fico atrás de nenhuma pessoa querendo lhe prejudicar depois que a mágoa passa. Só sou realmente muito duro com quem mexe com a minha família.

V&V: Realização:

André Fernandes: Ter tido a confiança do prefeito Padre Joselito para ajudá-lo a transformar Gravatá com base em valores que eu compartilho totalmente com ele. Fico ainda mais feliz de caminhar todos os dias pelas ruas de nossa cidade e receber maciçamente apoio e confiança, seja de amigos, conhecidos ou de cidadãos que me parabenizam por eu estar ao lado das pessoas certas, fazendo a coisa certa. Cada um deles pode ter certeza de que eu não vou decepcionar, de que vou honrar o compromisso assumido.

V&V: Erros:

André Fernandes: São muitos, mas não tenho compromisso com nenhum deles. Só não erra quem não tenta. Então como eu tento o tempo todo, eu cometo erros constantemente e procuro corrigi-los sempre.

V&V: Liberdade:

André Fernandes: Uma prerrogativa para ser usada ao mesmo tempo com muita intensidade e com responsabilidade. Para gozar plenamente da liberdade, devemos colocar em prática um ensinamento de Jesus e fazer para os outros as mesmas coisas que queremos que os outros nos façam.

V&V: Mentira:

André Fernandes: Um dos defeitos que mais me causa repugnância no ser humano. Eu não sei conviver com mentirosos.

V&V: Felicidade:

André Fernandes: Como disse certa vez Ariano Suassuna, felicidade é torcer pelo Sport (risos).

V&V: Inveja:

André Fernandes: O parâmetro da minha vida são as minhas realizações, e não as realizações dos outros. Eu vou buscar crescer profissional e pessoalmente para atingir os meus próprios objetivos, e não porque eu quero ter algo que alguém tenha ou viver uma vida igual à do outro.

V&V: Celular:

André Fernandes: Hoje, meu principal meio de comunicação e obtenção de informações.

V&V: Qualidade:

André Fernandes: Perseverança.

V&V: Defeito:

André Fernandes: Perfeccionismo exagerado.

V&V: Educação:

André Fernandes: Valor fundamental e de um imenso poder transformador na vida das pessoas.

V&V: Tecnologia:

André Fernandes: Já fui um ser do século XIX, mas hoje eu sou um cara bem antenado com o século XXI (risos).

V&V: Rotina:

André Fernandes: Família e trabalho.

V&V: Mudanças:

André Fernandes: Aberto a elas, desde que os objetivos sejam atingidos.

V&V: Esportes:

André Fernandes: Futebol e automobilismo.

V&V: Disciplina:

André Fernandes: Faço dela um exercício diário baseado em resultados.

V&V: Privilégio:

André Fernandes: A maneira com que Deus me agraciou no lar, mulher e filho que Ele escolheu para mim.

V&V: Comida:

André Fernandes: Tem que escolher só uma? Porque eu gosto de comer muito e de tudo (risos). Coloca aí que atualmente eu estou na fase de viciado em sushi (risos).

V&V: Bebida:

André Fernandes: Duas doses de um bom whisky.

V&V: Sobremesa:

André Fernandes: Cartola.

V&V: Fruta:

André Fernandes: Morango.

V&V: Cor

André Fernandes: Amarelo.

V&V: Perfume:

André Fernandes: Sauvage, de Dior.

V&V: Animal:

André Fernandes: Meu cachorro Simba.

V&V: Carro:

André Fernandes: O meu, um Ford Fusion.

V&V: Roupa:

André Fernandes: A adequada ao momento. Ninguém vai à praia de terno e gravata, nem a um casamento de sunga de banho. Precisa ser confortável e de boa qualidade, mas não necessariamente cara ou de marcas famosas.

V&V: Estação do ano:

André Fernandes: Inverno.

V&V: Uma frase:

André Fernandes: “Tudo posso naquele que me fortalece”.

V&V: Regra de vida:

André Fernandes: Honestidade.

V&V: Três coisas importantes na vida.

André Fernandes: Família, trabalho e lealdade aos meus valores.

V&V: Data importante e por quê:

André Fernandes: 10 de fevereiro de 2008, nascimento do meu filho Vini.

V&V: Ponto forte:

André Fernandes: Comprometimento com as minhas causas.

V&V: Ponto a trabalhar:

André Fernandes: Trabalhar ainda mais para aceitar que cada um tem o seu próprio tempo e sua própria história.

V&V: É vaidoso:

André Fernandes: De certa maneira, sim. Mas minha vaidade está muito mais naquilo que sou, no que penso, e não no que tenho.

V&V: O que lhe inspira?

André Fernandes: Realizar.

V&V: Encontro com os amigos:

André Fernandes: Momento de curtição total. Parecemos crianças quando estamos juntos (risos).

V&V: Ator:

André Fernandes: Al Pacino, um verdadeiro gênio da espécie.

V&V: Atriz:

André Fernandes: Fernanda Montenegro, a grande dama do teatro brasileiro.

V&V: Cantor:

André Fernandes: Chico Buarque, para mim o maior nome da música brasileira de todos os tempos.

V&V: Cantora:

André Fernandes: Elis Regina.

V&V: Homem público:

André Fernandes: Papa Francisco, a maior personalidade mundial em tempos muito difíceis.

V&V: Mulher pública:

André Fernandes: Frida Kahlo, por estar muitas décadas à frente de seu tempo.

V&V: Mestre:

André Fernandes: Jesus

V&V: Personalidade Pernambucana:

André Fernandes: Eduardo Campos.

V&V: Programa de fim de semana?

André Fernandes: Comer fora de casa.

V&V: Praia, campo ou montanha?

André Fernandes: Campo.

V&V: Dia ou noite?

André Fernandes: Noite, sem dúvida (risos).

Em família

V&V: O que te faz bem?

André Fernandes: Estar em casa com a família.

V&V: O que te tira do sério?

André Fernandes: A mentira, a inveja e a bajulação.

V&V: Sonho de consumo:

André Fernandes: Sou um apaixonado por relógios e toda a história que algumas marcas e modelos carregam.

V&V: Supérfluo indispensável:

André Fernandes: Um bom “mostrador de horas” (risos). Ganhei recentemente um muito especial de minha mulher e do meu filho, que não consigo tirar do pulso nem por um minuto.

V&V: Melhor festa do ano?

André Fernandes: Carnaval.

V&V: Programa de televisão?

André Fernandes: House of Cards, uma série de televisão americana da Netflix, para me precaver de alguns “Frank Underwood” genéricos que temos por aqui (risos).

V&V: Show ou apresentação memorável:

André Fernandes: Titãs.

V&V: Tímido ou extrovertido?

André Fernandes: Extrovertido.

V&V: Barzinho ou balada?

André Fernandes: Barzinho. Estou muito velho para baladas (risos).

V&V: Ler ou assistir filme?

André Fernandes: Agora você me pegou. Dois dos meus maiores prazeres. Se tiver que escolher só um, ler. Mas sou um completo apaixonado por clássicos de cinema.

Ela (Clarinha) é a pessoa que me ajuda a entrar em equilíbrio e me chama à razão, confessa André Fernandes.

V&V: Programa de um feriado no meio da semana:

André Fernandes: Um fonduezinho com a mulher amada.

V&V: Que palavra melhor lhe define?

André Fernandes: Obstinação.

V&V: Um filme inesquecível:

André Fernandes: “O Poderoso Chefão”, de Francis Ford Coppola.

V&V: Que livro recomenda e por quê?

André Fernandes: “Cem anos de solidão”, do escritor colombiano Gabriel García Márquez, porque é a mais perfeita metáfora da condição latino-americana e de todos os problemas que compartilhamos.

V&V: Gênero de música que gosta:

André Fernandes: Não tem muito a ver com gênero, mas sim com qualidade. Não tenho interesse por música que, se eu pegar um pedaço de papel, posso fazer igual ou melhor em menos de trinta segundos (risos). Eu gosto e admiro os cantores que representam bem a riqueza da música popular brasileira, da bossa nova e de nosso cancioneiro regional, como João Gilberto, Tom Jobim, Chico, Gil, Caetano, Elis, Luiz Gonzaga. Do que a música brasileira produziu de melhor nos últimos anos, sou muito fã do nosso pernambucano Lenine. E curto muito rock clássico inglês, principalmente os velhinhos dos Rolling Stones (risos).

V&V: Pequenos prazeres que são essenciais na vida:

André Fernandes: Um bom vinho, um bom livro e um bom filme.

Clarinha e Simba

V&V: Qual a pessoa que mais influenciou/influencia na sua vida?

André Fernandes: Clarinha. Ela é a pessoa que me ajuda a entrar em equilíbrio e me chama à razão. É quem me faz seguir respeitando a norma máxima de vida de não fazer nada que possa envergonhar minha família, que eu não possa contar ao meu filho na hora do jantar.

V&V: O que mais valoriza numa pessoa?

André Fernandes: A retidão de caráter.

V&V: O que lhe orgulha em ser brasileiro?

André Fernandes: A nossa riqueza e diversidade cultural.

V&V: Quem é André Fernandes, o homem que gosta de política?

André Fernandes: Alguém que encara a política como um meio de promover prosperidade, desenvolvimento e justiça social. Um espaço para servir, e não para se servir. Sei que muitos, principalmente os mais jovens, andam muito desencantados com a política e com muita razão. Muitos de nossos heróis morreram de overdose, como diria o poeta Cazuza (risos). Mas, infelizmente, é do desinteresse político de alguns que nasce o político corrupto. E do político corrupto nasce a criança de rua, o desempregado, o pai de família que vai morrer no hospital por falta de leitos. Sonho com mais participação popular, com mais mulheres e homens de bem na política, porque, queiram eles ou não, é da política que decorrerá a qualidade das escolas dos seus filhos, a existência ou não de comida nas suas mesas.


Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *