Gente

Entrevista com Junio Vasconcelos – O homem de uma leveza encantadora, que alterna o papel de marido, pai e amigo com o de socorrista do SAMU e Coordenador do Centro de Saúde Fernando da Veiga Pessoa – Posto I

Junio Vasconcelos

O blog valeriaevoce teve a honra de bater um papo com Junio Vasconcelos, uma pessoa muito especial, que sempre estende a mão para auxiliar qualquer pessoa.

Aliás, ele é gente que se faz presente e que dá saudade. Que venceu barreiras, desafios, preconceitos e falhas sem reclamar. Só aprendendo com as lições sem perguntar. Ele sabe amar e se dedicar a gente como Gente, e fazer os dias valerem à pena!

E, nesse ano de 2021, o técnico em Enfermagem, Junio Vasconcelos, tem a missão de educação em saúde, educação da saúde e prestação de bons serviços como Coordenador do Centro de Saúde Fernando da Veiga Pessoa – Posto I, junto a atual gestão.

Esse é o desafio para o organizado, confiável e comprometido Junio Vasconcelos, que pela experiência adquirida na prática dos serviços de enfermagem, e olhar voltado para a comunidade, vem sendo cumprido nas relações individuais e coletividade. E mudando o cenário de percepção, procura e satisfação dos gravataenses com os serviços de saúde do Posto I.

V&V: Como é estar Coordenador do Centro de Saúde Fernando da Veiga Pessoa – Posto I?

Junio Vasconcelos: É uma responsabilidade e satisfação muito grande desempenhar funções de coordenador, e junto ao secretário José Edson, e aos que fazem a Secretária de Saúde Municipal, planejar e executar em equipe um trabalho em prol da população.

“Ao mesmo tempo me sinto motivado e confiante, para motivar e realizar junto aos que fazem o Posto I, um trabalho de atendimento qualificado, que vem sendo reconhecido em apenas 06 meses de gestão e com uma pandemia.

V&V: Como é estabelecida a prioridade do atendimento de quem chega no Posto I?

Junio Vasconcelos: Idade, portadores de deficiência física ou gestantes. Além disso, tem as urgências e emergências, com características próprias para priorizar atendimentos.

V&V: No Centro de Saúde o trabalho é em equipe. Como é para Junio Vasconcelos trabalhar em equipe?

Junio Vasconcelos: É muito bom. Está sendo um aprendizado maravilhoso trabalhar de maneira integrada e independente para atender às necessidades de saúde. E o primeiro compromisso que compartilhei e compartilho com essa equipe é o comprometimento com o atendimento de qualidade e humanizado. Todo nosso trabalho no Posto I, é focado na assistência eficiente e eficaz, para gerar a satisfação e o bom atendimento a todos os gravataenses.

“E o conjunto de ações e metas que vem sendo realizadas pelo secretário de Saúde, José Edson, que está descentralizando os serviços, instalando equipamentos de saúde e ampliando a atenção primária para a população. Proporciona a melhoria do atendimento não só no Posto I, mas em todo o município, tanto na zona urbana quanto na rural. E isso possibilita atendimento melhor com a qualificação na prestação de serviços do Posto I. Que são elementos decisivos para a população usufruir do bom funcionamento dos serviços da saúde do município”, esclarece Junio Vasconcelos.

V&V: Me conta um pouco da sua história na saúde

Junio Vasconcelos: Na realidade, tudo começou quando eu tinha de 17 para 18 anos, eu cursava enfermagem em Caruaru, e fazia estágio na Unidade Mista Virgínia Guerra. Naquela época o aprendizado não começava direto no paciente, começava aprendendo a forrar a cama para o paciente e princípios básicos essenciais até chegar na fase de contato com o paciente. E esse aprendizado é primordial e essencial ao profissional que sou. Quando conclui o curso, tive o privilégio de ser contratado. E, em 1995 passei a trabalhar no lugar onde nasci, Casa de Saúde Santana. Quando a Casa de Saúde fechou, fui trabalhar no PSF do Posto II, depois no PSF do Posto IV, na SUCAM e no Posto I, no PNI, onde carinhosamente sou chamado de Junio da vacina, por gostar de trabalhar com imunização, protegendo as pessoas daquilo que lhe causam doenças.

Tenho 28 anos completos na área de saúde e pretendo no mínimo mais 28 anos nessa área, com muita dedicação, amor, cuidados, atenção, especializações e carinho com as pessoas.

V&V: Quem nessa época de inúmeras aprovações mais te ensinou?

Junio Vasconcelos: O grande profissional Dr. William Celso Muniz Lopes, que hoje tenho como um pai, e que com seu jeito de ser acreditou em mim, me ensinou, direcionou e inspirou em atendimentos, urgências e emergências hospitalares.

V&V: Como Junio Vasconcelos chegou ao SAMU?

Junio Vasconcelos: No final de 2006, a Secretaria de Saúde de Gravatá, estava pegando a base curricular de técnicos de enfermagem para abrir o SAMU de Gravatá. Eu lembro que dos cadastros feitos, fiquei entre os 70 selecionados para a prova teórica. Consegui passar por essa etapa e ficar entre os 35 candidatos selecionados, para ter a oportunidade de passar pela prova prática. E graças a Deus e com muita honra, conquistei o 4º lugar da seleção, entre os 7 candidatos selecionados, que fariam parte da primeira turma de profissionais do SAMU Gravatá.

“Junho é um mês muito especial para todos que fazem o SAMU Gravatá. Porque foi o mês que os serviços pré-hospitalares da corporação foram oficialmente inaugurados no município (25 de junho de 2007). E quinze anos depois, é impossível pensar nos atendimentos da rede pública de saúde sem o suporte desse serviço. E, eu sinto-me honrado, de fazer parte desse serviço, num momento que somos tão exigidos diante essa pandemia, e de mostrar o quanto os serviços SAMU são essenciais nos atendimentos pré-hospitalares”.

“E parabenizo todos os colegas do SAMU, pelo comprometimento com o serviço, e por sermos sempre pró ativos, mantendo a identidade do SAMU e colocando os pacientes em primeiro lugar”.

V&V: E como você chegou a Coordenador do Centro de Saúde Fernando da Veiga Pessoa – Posto I?

Junio Vasconcelos: “Eu participei e trabalhei na campanha de padre Joselito, como cidadão e como candidato a vereador. Não fui eleito, mas desde o início da campanha, participei ativamente e até perdi o empregos. Coisa que nunca me arrependi, pois sempre acreditei nas propostas firmadas pelo padre.

“E que já estamos vendo acontecei em apenas seis meses de gestão. São inúmeros serviços realizados, numa expansão valiosíssima em tempos de pandemia”.

“E após sua vitória, recebi o convite, e me sinto honrado de fazer parte de uma gestão que tem como slogam “Compromisso com as pessoas”, e com as melhorias, pois foi isso que padre Joselito e sua equipe se comprometeu a fazer diariamente”.

“É uma responsabilidade triplicada trabalhar com a saúde pública, buscando e fazendo cada vez mais o melhor para a população. E graças a Deus, estou fazendo o que gosto e como gosto, fazendo o diferencial junto a uma gestão séria, que me dá a oportunidade de deixar o meu perfil de trabalho com o que ajudo a desenvolver.

“Porque tudo que já conquistei e conquisto, foi e quero que sempre seja por merecimento. Quando eu comecei, queria ser médico, mas Deus me proporcionou, e me ajuda numa trajetória e missão como técnico de enfermagem, e eu tenho o maior orgulho dessa missão honesta de amar e cuidar do outro”.

V&V: E os desafios de trabalhar em equipe?

Junio Vasconcelos: Muitos. Esses desafios, são aprendizados diários com pessoas de comportamentos e pensamentos diferentes, e algumas com vestígios de outras administrações. E que não querem se moldar a atual gestão e trabalhar junto em novos projetos e melhorias em prol do povo.

“O que aos poucos está sendo mudado, e essas pessoas/equipes estão entendendo que cada vitória e elogio alcançado pelo serviço bem prestado no Centro de Saúde Fernando da Veiga Pessoa – Posto I, é parte fundamental delas. Ninguém é vitorioso sozinho, principalmente porque os serviços prestados pelo Posto I, é um trabalho enorme de pessoas que fazem a diferença na construção dos resultados e todas são vencedoras ao realizar o melhor pela e para a população gravataense.

V&V: Nome:

Junio Vasconcelos: Junio Vasconcelos da Silva

V&V: Local e data de nascimento:

Junio Vasconcelos: Nasci em Gravatá, no dia 25 de dezembro de 1975.

V&V: Pais e irmãos:

Junio Vasconcelos: Veralúcia Vasconcelos da Silva (n memorian) e Arnaldo Caetano da Silva. Duas irmãs, Geovania Vasconcelos da Silva e Cherla Tatiana Vasconcelos da Silva

V&V: Onde e como foi a sua infância?

Junio Vasconcelos: Foi no bairro do Prado, livre e cheia de brincadeiras. Mais nas festas juninas, é inesquecível o lado criativo dos moradores do Prado, que caprichavam nas bandeirolas e brincadeiras. Como o toco que S. Antônio, pai do saudoso Milton Gonçalves, colocava para diversão da criançada, e de todos. Outra lembrança muito viva do meu tempo de criança e dos momentos alegres e únicos, junto à família e amigos era o carrossel de D. Carmelita. A minha infância maravilhosa, uma fase da perseverança, esperança e dias melhores.

“Além das brincadeiras de queimado, de pular corda, de ficar embaixo das bicas das casas quando chovia e de correr na lama.

V&V: Mesmo quando criança você já tinha um sonho?

Junio Vasconcelos: Tinha, eu já queria fazer Medicina. Minha saudosa mãe é testemunha, porque eu sempre dizia à ela que queria ser doutor, para cuidar das pessoas que precisarem de mim. Infelizmente por nossas condições financeiras não deu para ela me ajudar a realizar esse sonho. Mas o sonho de trabalhar na área de saúde foi possível sim. E graças a Deus, estou fazendo o que sempre quis, ajudar, contribuir, alimentar, escutar, proteger, acudir, abraçar, cuidar de gente

V&V: Em quais escolas estudou?

Junio Vasconcelos: Comecei na Cônego Eugênio Vila Nova, na qual cursei até a 4ª série. E quando a escola mudou para a COHAB II, com o nome de Escola Edgar Batista. Eu passei a estudar na escola Cleto Campelo, minha segunda escola.

V&V: E da primeira professora, você lembra?

Junio Vasconcelos: Sim. D. Marinete, que hoje é residente na rua 7 de Setembro, e é Ministra da Eucaristia.

V&V: Quais matérias você gostava?

Junio Vasconcelos: Eu tenho um carinho muito grande pelo inglês e pela minha professora na época, a bailarina Fátima Vilar. Mas minha matéria preferida era Português.

V&V: E sua adolescência?

Junio Vasconcelos: Minha adolescência foi limitada e um pouco sofrida. Eu sou o filho mais velho, e junto a minha mãe cresci ajudando e mantendo-me saudável e sonhador. Ao mesmo tempo que cheio de responsabilidades e os ensinamentos de uma mãe que alicerçou minha vida diariamente com valores, respeito e muita fé em Deus, ampliando minha noção do mundo, e me permitindo sempre a buscar o melhor.

V&V: Você foi um aluno participativo e atuante?

Junio Vasconcelos: Não. Eu tinha vergonha, porque tinha tido paralisia facial. Na realidade um trauma, e achava que os coleguinhas zoavam de mim. Mas com o tempo, aprendi a lidar e entender a paralisia facial, e passei a lidar, e a respeitar as pessoas que não tem informações corretas sobre alguns assuntos, e terminam alimentando o preconceito em relação a pessoas diferentes.

V&V: Como você já sabia o que queria, o período escolar veio a somar em sua decisão?

Junio Vasconcelos: Sim. Eu tinha uma professora de Matemática, na 5ª série, chamada de Francisca Batista Mororo, que acreditou no que eu queria para mim e na minha vontade. E que sempre me dizia que um dia eu ia ter orgulho de mim mesmo. Lembro que na época eu perguntava a ela como? E ela dizia que via na minha alma um progresso muito grande.

V&V: Qual foi seu primeiro emprego?

Junio Vasconcelos: Como na época não tinham tantas exigências burocráticas da Constituição na legalidade dentro dos serviços de saúde, foi na Unidade Mista Virgínia Guerra.

V&V: E como logo de primeira você foi trabalhar na área de saúde?

Junio Vasconcelos: Eu tinha concluído o 1º e o 2º grau, e as pessoas sabiam que eu era apaixonado pela saúde. E me orientaram e ajudaram a consegui um estágio voluntário na Unidade Mista Virgínia Guerra.

V&V: E depois, qual a sua prioridade?

Junio Vasconcelos: Fazer o curso de Auxiliar de Enfermagem no SENAC de Caruaru. Mas não pense que foi fácil não. Eu tenho o maior orgulho do esforço e luta diária da minha mãe, que junto a meu avô Luís Bezerra, mais conhecido como Arara, ajudou muito para eu fazer esse curso.

“Eu ia para Caruaru com dinheiro suficiente para comprar a passagem do ônibus e uma pipoca. Eu não tinha condições de comprar outro lanche, aí, comia a minha pipoca e um copo de água da torneira, porque eu também não tinha dinheiro para comprar água mineral”.

Bora descontrair nosso bate papo com perguntas e respostas rápidas

V&V: Deus:

Junio Vasconcelos: Meu tudo.

V&V: Família:

Junio Vasconcelos: Meu direcionamento.

V&V: Amigos:

Junio Vasconcelos: Vale a pena.

V&V: O que seus amigos devem ser?

Junio Vasconcelos: Sinceros e honestos.

V&V: Pontos fortes:

Junio Vasconcelos: Ser exigente e tranquilo ao mesmo tempo.

V&V: E o que lhe ganha fácil?

Junio Vasconcelos: O choro verdadeiro.

V&V: A beleza da vida é:

Junio Vasconcelos: Se aceitar e viver o que você é.

V&V: Estar em família:

Junio Vasconcelos: É o nosso bem mais precioso. A melhor coisa que existe.

V&V: Programa de fim de semana:

Junio Vasconcelos: Casa, família e Netflix.

V&V: Qual tua regra de vida?

Junio Vasconcelos: Organização.

V&V: Três coisas importantes na sua vida:

Junio Vasconcelos: Humildade, seriedade e igualdade.

V&V: Data importante e por que?

Junio e sua mada mãe, veralúcia.

Junio Vasconcelos: 02 de junho, data de nascimento do amor da minha vida, minha mãe.

V&V: O que te faz feliz?

Junio Vasconcelos: A minha profissão.

V&V: O que te tira do sério?

Junio Vasconcelos: A mentira.

V&V: Orgulho de si próprio:

Junio Vasconcelos: Ser humano e sincero.

V&V: Mania:

Junio Vasconcelos: De roer as unhas.

V&V: Educação:

Junio Vasconcelos: A base de tudo.

V&V: Liberdade:

Junio Vasconcelos: Ser feliz.

V&V: Projeto de vida:

Junio Vasconcelos: Minha casa.

V&V: Sonho:

Junio Vasconcelos: Conhecer oRio de Janeiro.

V&V: Alegria:

Junio Vasconcelos: Ver o outro sorrir.

V&V: Amor:

Junio Vasconcelos: Minha mãe e meus dois filhos.

V&V: Conquista:

Junio Vasconcelos: A próxima que é terminar minha faculdade.

V&V: Desafio:

Junio Vasconcelos: Nunca desistir. Esse é o maior desafio da vida.

V&V: Perdão:

Junio Vasconcelos: Reconhecimento.

V&V: Realização:

Junio Vasconcelos: Paciência.

V&V: Erros:

Junio Vasconcelos: Humildade diante eles.

V&V: Mentira:

Junio Vasconcelos: Tudo de ruim que existe numa pessoa.

V&V: Felicidade:

Junio Vasconcelos: A base de tudo para uma vida melhor.

V&V: Inveja:

Junio Vasconcelos: Falta de fé.

V&V: Rotina:

Junio Vasconcelos: Gostar de trabalhar.

V&V: Privilégio:

Junio Vasconcelos: De ter nascido de dona Vera, uma mulher tão especial.

V&V: Palavra que melhor lhe define:

Junio Vasconcelos: Humildade.

V&V: Disciplina:

Junio Vasconcelos: O fundamento da postura.

V&V: Mudanças:

Junio Vasconcelos:

V&V: Tecnologia:

Junio Vasconcelos: Essencial.

V&V: Celular:

Junio Vasconcelos: Estamos viciados e nem sabemos, kkkkkkk.

V&V: Festa preferida:

Junio Vasconcelos: Juninas.

V&V: Saúde:

Junio Vasconcelos: O tudo para todos.

V&V: Comida preferida:

Junio Vasconcelos: Todas juninas.

V&V: Sobremesa:

Junio Vasconcelos: Pudim.

V&V: Bebida:

Junio Vasconcelos: Cerveja e vinho.

V&V: Que comida não pode faltar e é sempre bem-vinda?

Junio Vasconcelos: Pizza.

V&V: Fruta:

Junio Vasconcelos: Maçã.

V&V: Cor:

Junio Vasconcelos: Amarelo.

V&V: Perfume:

Junio Vasconcelos: Malbec.

V&V: Animal:

Junio Vasconcelos: Cachorro.

V&V: Roupa preferida:

Junio Vasconcelos: Blusa de mangas compridas.

V&V: Ator:

Junio Vasconcelos: Tony Ramos.

V&V: Atriz:

Junio Vasconcelos: Laura Cardoso.

V&V: Cantor:

Junio Vasconcelos: Roupa Nova.

V&V: Cantora:

Junio Vasconcelos: Paula Toller.

V&V: Filme:

Junio Vasconcelos: Ghost – Do outro lado da vida.

V&V: Música Marcante:

Junio Vasconcelos: Coração, José Augusto.

Junio e Dilma (esposa)

V&V: Uma pessoa que influenciou e influencia na sua vida:

Junio Vasconcelos: Dilma, minha esposa.

V&V: O que o casamento tem lhe ensinado?

Junio Vasconcelos: Que o verdadeiro amor nos torna capaz de aprender, conviver e de trilhar caminhos juntos. Sempre se respeitando e se amando cada vez mais.

V&V: Esposa e filhos:

Junio Vasconcelos: Maria José dos Santos, Dilma e dois filhos, Juliane Mayara e Jonathas Mateus

V&V: Homem público:

Junio Vasconcelos: Na atualidade, padre Joselito.

V&V: Mulher pública:

Junio Vasconcelos: Terezinha Carvalho.

V&V: Um mestre:

Junio Vasconcelos: Dr. William Celso Muniz Lopes.

V&V: Uma mestra:

Junio Vasconcelos: Madalena Medeiros.

V&V: Personalidade pernambucana:

Junio Vasconcelos: A grande atriz Arlete Sales.

V&V: Programa de televisão:

Junio Vasconcelos: Hora do Faro.

V&V: Verão ou inverno?

Junio Vasconcelos: Verão.

V&V: Dia ou noite?

Junio Vasconcelos: Noite.

V&V: Supérfluo indispensável:

Junio Vasconcelos: Perfume.

V&V: Uma frase:

Junio Vasconcelos: Enquanto há vida, há esperança. (Eclesiastes).


Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *