Gente

Entrevista com Viviane Facundes, mãe, mulher, dona de casa, artesã, amiga e secretária de Assistência Social e Juventude de Gravatá

Secretária de Assistência Social e Juventude, Viviane Facundes.

A primeira-dama de Gravatá e secretária de Assistência Social e Juventude, Viviane Facundes, concedeu entrevista ao blog valériaevocê em meio as muitas responsabilidades e inúmeros desafios da pandemia da Covid-19, onde a principal atribuição da sua secretaria é orientar, viabilizar e garantir a população direito à assistência social e à segurança.

A gravataense Viviane Facundes da Silva, nasceu no dia 18 de agosto, é a filha mais velha de três mulheres de dona Mauricélia e seu Edmundo. Formada no curso técnico de Auxiliar de Contabilidade, realizado no Colégio Juvenal de Carvalho no ano de 2000, em Fortaleza/CE. Dentro do curso, é habilitada em diversas outras disciplinas profissionalizantes. Foi aluna da Escola Pastoral Catequética da Arquidiocese de Fortaleza. E como formanda Salesiana, fez estágio numa obra social promovida pelo Centro Juvenil Dom Bosco, na Vila União, em Fortaleza. Ainda na capital cearense, trabalhou com crianças e jovens carentes na comunidade São Judas Tadeu, na Vila Peri, no bairro da Parangaba. Em 2002, iniciou o curso de Bacharelado em Secretariado na Faculdades Integradas da Vitória de Santo Antão – Faintivisa. No ano de 2010, também iniciou o curso técnico em Zootecnia no Instituto Federal de Pernambuco – IFPE (campus Vitória). Foi voluntária na Obra de Defesa da Infância Pobre – ODIP, e é artesã, com trabalhos reconhecidos por toda cidade. É fiel escudeira e devota de Irmã Dulce, e comprometida com a verdade, fé e ação.

Viviane é suave, intensa e forte. Casada com Joselito Gomes, e mãe de Maria Fernanda, 11 anos, Luiz Fernando, 5 anos e Maria Luísa de 3 anos. Enfrentou com coragem um turbilhão de críticas, conquistou lutas e desafios e construiu uma base familiar que a faz se sentir verdadeiramente bem e à vontade diante o mundo.

“Minha família é o meu bem mais precioso, o meu tesouro maior neste mundo. Cuidar e conviver com ela é honrar o privilégio de ser mulher e mãe que Deus me concedeu. Ela foi e é o motivo para que eu enfrente qualquer preconceito e discriminação”, afirmou Viviane.

V&V: Está sendo difícil conciliar Viviane mãe, mulher, dona de casa, artesã, amiga e secretária?

Viviane Facundes: Não. Ser mãe é uma missão, e eu sempre tive o desejo de ser mãe. Para mim a benção maternal é um presente de Deus. Ser mulher é o resultado de minhas escolhas. É estar num mundo com os mais variados temas, e viajar sem sair do lugar com meu marido Joselito, para aprender passo a passo bem juntinhos como viver e nos encantar com a vida. Ser dona de casa é fácil quando se tem uma família unida e parceira. O artesanato foi onde me redescobri. Porque ser artesã é trabalhar a alma, mexer com os sentimentos e ter a incrível oportunidade de criar algo único através da arte. Já ser amiga e ter amigos é bom demais! Aliás, uma amizade verdadeira é um bem que nunca morre não importando a distância.

“E eu não sou secretária, eu estou secretária. E em pouco tempo já entendi que estar secretária de Assistência Social e Juventude não é para qualquer um. Trabalhar com o povo é uma missão. E graças a Deus, eu tenho personalidade de gente que faz, e não que pega carona nas coisas que os outros fazem. Eu tenho a missão de transformar e ajudar a vida de quem mais precisa. E minha criatividade e habilidades que desenvolvi com o artesanato, tem me ajudado muito no contato e entendimento com as pessoas”.

V&V: Como é participar da construção de uma Gravatá melhor?

Viviane Facundes: É um privilégio. Faz um bem enorme saber que posso trabalhar, articular e fazer acontecer melhorias de cidadania, habitação, desenvolvimento social, direitos humanos, segurança alimentar, recuperação e melhoria das condições de vida dos grupos sociais mais necessitados da população. E garantir acesso as políticas públicas de inclusão social essenciais para a vida, como a saúde, a habitação, a cultura, o esporte, o lazer; de gestão dos fundos municipais de Assistência Social, a criança, ao adolescente e ao idoso.

V&V: A vida de secretaria de Assistência Social e Juventude já mostrou um lado que você acha delicado?

Viviane Facundes: Estou exercendo minha missão da melhor forma possível. Eu não vim só para ocupar mais uma cadeira. Eu vim para fazer, acontecer, somar e melhorar a vida das pessoas. Eu tenho a obrigação de ajudar a vida de quem mais precisa. E corro atrás. E foi aí que encontrei as primeiras coisas delicadas (dificuldades). Tem uma lei acima da caneta, uma burocracia e um jogo de traquejo político. Que as vezes até chego a me perguntar se a política atrapalha a administração, ou é a administração que atrapalha a política? É preciso ter jogo de cintura e um bom jogo político. Hora você é razão, hora você é coração e tem hora que precisamos ser políticos. E eu estou me descobrindo nessa caminhada sendo política. Porque a política é boa se feita com decência, dignidade e com respeito ao outro. Se os bons não se colocam a disposição em fazer uma boa política, a maldade política vai perpetuar.

Viviane Facundes

E como hoje é domingo, a primeira pergunta é:

V&V: Programa de fim de semana.

Viviane Facundes: Passar o dia com marido e filhos e passear.

V&V: O que lhe motiva?

Viviane Facundes: A vontade de querer fazer.

V&V: Conquista inesquecível:

Viviane Facundes: Minha família.

V&V: Ponto forte:

Viviane Facundes: Impulsividade. Mesmo quebrando a cara de vez em quando. Mas trabalho muito essa impulsividade para que ela sempre some e seja positiva.

V&V: Duas prioridades:

Viviane Facundes: Minha família e meu trabalho.

V&V: O que te faz rir?

Viviane Facundes: A boa conversa com gente leve que não vive se reclamando da vida.

V&V: O que é inexplicável para você?

Viviane Facundes: A minha experiência com Deus.

V&V: O que te faz feliz?

Viviane Facundes: Fazer o eu que gosto junto de quem eu gosto.

V&V: Regra de vida:

Viviane Facundes: A verdade.

V&V: O que muda constantemente na sua vida?

Viviane Facundes: Com tantas coisas acontecendo constantemente, o meu humor.

V&V: O que é mais importante a beleza ou cérebro?

Viviane Facundes: Com certeza o cérebro.

V&V: Um defeito e uma qualidade:

Viviane Facundes: Um defeito não, diria algo que precisa ser trabalhado e melhorado, que é a minha impulsividade. E a qualidade é ser verdadeira, honesta.

V&V: O que mais pesa, a mentira ou a traição?

Viviane Facundes: As duas coisas. Na minha opinião uma não anda sem a outra.

V&V: Você é consumista?

Viviane Facundes: Não. Só costumo adquirir o necessário.

V&V: É vaidosa?

Viviane Facundes: Não, com nada.

V&V: O que você não consegue passar o dia sem fazer?

Viviane Facundes: Tirar uma brincadeira com alguém e ver o sorriso aparecer.

V&V: Uma data importante:

Viviane Facundes: O dia em que eu conheci o amor da minha vida: padre Joselito Gomes.

V&V: Amigo:

Viviane Facundes: Tem que ser leal, e não precisa estar presente fisicamente, mais tem que estar perto do coração.

V&V: O que te orgulha?

Viviane Facundes: Ser quem eu sou.

V&V: É sonhadora?

Viviane Facundes: Sim, porém com os pés no chão.

V&V: Programa de Televisão:

Viviane Facundes: Reportagens.

V&V: Personalidade Pernambucana:

Viviane Facundes: Duas: Miguel Arraes e Eduardo Campos.

V&V: O que lhe chama atenção?

Viviane Facundes: A maneira como uma pessoa trata o outra.

V&V: Que situação você trava?

Viviane Facundes: Quando eu vejo a pessoa falando mentira, e ela ainda acha que está abalando. Aí eu travo e encaro essa pessoa.

V&V: Que música você gosta?

Viviane Facundes: Da romântica. Sou fã de: Um dia de domingo, na voz de Gal Costa.

V&V: Uma cor:

Viviane Facundes: Vermelho.

V&V: Comida:

Viviane Facundes: Filé a parmegiana.

V&V: Um animal:

Viviane Facundes: Cachorro.

V&V: Bebida:

Viviane Facundes: Uma cervejinha.

V&V: Praia ou cinema?

Viviane Facundes: Praia.

V&V: Cidade ou campo?

Viviane Facundes: Se eu tivesse condições de morar no campo, eu preferia o campo. Mas como no momento não tenho fico com a cidade.

V&V: Casa ou festa?

Viviane Facundes: Festa. Eu gosto de dançar e meu marido dança muito bem e ainda canta e me encanta.

V&V: Quente ou frio?

Viviane Facundes: Quente.

V&V: Verão ou inverno?

Viviane Facundes: Eu prefiro o inverno, apesar de gostar de coisas quentes.

V&V: Festa, trabalho ou diversão?

Viviane Facundes: As três coisas juntas.

V&V: Se defina com uma palavra:

Viviane Facundes: Forte.

V&V: O que essa mulher forte, gostava de fazer quando estudante?

Viviane Facundes: De brincar de bola. Queimado e jogar bola de gude eram minhas brincadeiras preferidas.

V&V: Um lugar:

Viviane Facundes: Minha casa.

V&V: Cantor:

Viviane Facundes: Meu marido.

V&V: Cantora:

Viviane Facundes: Gal Costa

V&V: Uma fruta:

Viviane Facundes: Melancia.

V&V: Felicidade ou Paz?

Viviane Facundes: A paz se possível, a verdade sempre.

V&V: Três pessoas importantes na sua vida:

Viviane Facundes: Lúcia Amorim, que me acolheu como filha, amiga e mãe dos meus filhos. Meu marido Joselito, que é quem me sustenta, fortalece e me dá equilíbrio, e minha filha mais velha, Maria Fernanda, que me deu e me dá força para enfrentar a maldade das pessoas e não desistir.

V&V: Você começou a fazer artesanato em 2015. O que o artesanato lhe ensinou para vida toda?

Viviane Facundes: O respeito pelo outro e pelo seu dom.

V&V: O que lhe faz bem?

Viviane Facundes: A simplicidade.

V&V: Uma dica de vida:

Viviane Facundes: Sempre fique ao lado dos mais pobres.

V&V: Presente que gosta de dar?

Viviane Facundes: O meu artesanato.

V&V: E de ganhar:

Viviane Facundes: Artesanato.

V&V: Uma mulher pública:

Viviane Facundes: Luciana Santos.

V&V: Um homem público:

Viviane Facundes: João Campos, um jovem que vem se destacando no meio político.

V&V: Uma mestra:

Viviane Facundes: Irmã Francisca Dias Pereira. Agora minha maior mestra e guia é Nossa Senhora Auxiliadora.

V&V: Que história é essa que Viviane é cantora.

Viviane Facundes: Sim. Fiz parte da Odip, onde descobri minha vocação como cantora, e junto a outros talentos formamos uma banda. Depois fui vocalista da banda Capim com Mel. E quando trabalhava na paróquia, fiz parceria com padre Joselito como cantora, e gravamos cds. E foi a partir daí que o nosso amor surgiu.  

V&V: Conta um pouco desse amor.

Viviane Facundes: Eu procurei padre Joselito antes de ir para Fortaleza para falar da minha missão. E quando passei a trabalhar na igreja e me aproximei dele, os sentimentos foram surgindo e fomos nos identificando. Depois de um tempo Joselito decidiu deixar a batina, e nos entregamos ao nosso amor. O bispo nos abençoou, e graças a Deus somos casados no civil e na Igreja há três anos.

V&V: Viviane por Viviane:

Viviane Facundes: As pedras que jogaram em mim, me ajudaram a construir meu maior patrimônio: minha família. Aprendi a ser sábia e a sentir a mão de Deus agindo em mim. Eu, Joselito e meus filhos não poderíamos estar aqui se as promessas de Deus não se cumprissem. Estamos juntos para sermos instrumentos de Deus em busca de um bem maior pela vida de todos.

Fora da secretaria Viviane é a esposa de Joselito com quem convive a dezenove anos e há três é casada no papel. É mãe de 3 filhos que tornam sua vida melhor a cada dia. Viviane é simples e multifuncional, pois também é esteticista de cães e gatos, cozinheira exemplar, e já foi empresária de tapiocaria.

E para manter a cabeça equilibrada no cenário atual da sua vida de primeira-dama do município de Gravatá, ela tem hora de estar com os filhos, com o marido, com os amigos e hora de trabalhar. No dia a dia, não permite que nada nem ninguém interfira em seus momentos família, e busca não misturar assuntos famíliar com os de trabalho.

“Acredito na humanidade e gosto de contribuir para que o mundo seja um lugar melhor. Eu, como pessoa, mãe, mulher, dona de casa, artesã, amiga e secretária, tenho a função de batalhar e dar o máximo de mim em tudo que eu faço”, concluiu Viviane Facundes.


Publicidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *