Notícias

Gravatá continua no combate a pandemia do novo coronavírus e quer continuar crescendo. E para isso conta com você

Foto: NSCTOTAL

O mundo enfrenta uma pandemia, e entre os prós e contras estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS), a autorização para reabertura de atividades econômicas, levou a administração municipal a unir esforços para conter a expansão do coronavírus e a avançar na revitalização e manutenção de serviços. Em especial, dar continuidade ao Programa Toda Semana Tem Obra, que não parou, mas ficou limitado diante as regras estabelecidas para enfrentamento a pandemia.

A prioridade municipal é proteger e cuidar da saúde da população com medidas preventivas para reduzir o contágio, adotar medidas de segurança, e adotar planos estratégicos para ampliar recursos no orçamento, e dar continuidade as obras de infraestrutura.

Em contrapartida a Secretaria Municipal de Saúde, monitora a evolução da pandemia da Covid-19 que demonstra controle, e aponta que no momento há uma contenção no patamar de elevação dos casos. Para o prefeito Joaquim Neto, isso não significa que o município venceu, mas aponta que os gravataenses precisam continuar se cuidando, e se adaptar ao novo modo de vida, redefinindo o senso da sua normalidade.

Na ausência de tratamentos eficazes ou de uma vacina amplamente disponível, é esperado que a população se adeque e conviva pacificamente com as medidas, ações de segurança contra um surto recorrente da Covid-19, que exija fechamento das atividades comerciais e isolamento social. E permita a continuidade da construção de obras públicas na zona urbana e rural, que objetivam melhorias para a população.

Para compreender, observar, participar e permitir a continuidade da melhoria e crescimento em diversos setores, e ter segurança mesmo diante a pandemia que combalida a economia municipal, e vem provocando efeitos a curto, médio e longo prazo. É fundamental que todos cumpram as orientações, protocolos e procedimentos de higiene e cuidados e acompanhem o site da Prefeitura de Gravatá.

O momento é de prudência. Ainda não é possível retomar as obras da zona urbana e rural a todo vapor. Mas a gestão municipal continua mobilizada para proteger a população, e tem buscado alternativas viáveis para o retorno ao ordenamento na construção das obras e articulação dos serviços de reforma, melhoria de estradas, capinação, iluminação e revitalização, entre outros.

Passados meses desde a confirmação do primeiro caso de Covid-19 em Gravatá, é clara a complexidade desta pandemia e a infinidade de decisões difíceis que o prefeito Joaquim Neto precisou e precisa tomar. E ainda que muitos tenham a sensação de que o mundo parou, a vida continua, e continua com os efeitos da pandemia.

Com o retorno de muitas atividades precisamos ter atenção redobrada as regras, medidas e protocolos, nos cuidados, impactos, isolamento, convivência e adaptação a um cenário desafiador em recursos humanos e financeiros. E garantir que os avanços conquistados pelo município baseados em orientações, adaptações e evidências, promovam a segurança de uma população unida e em luta constante no combate ao novo coronavírus.

A pandemia trouxe o melhor e o pior da sociedade, mas não podemos nos enganar: “A mudança só vem da união de esforços, solidariedade e da razão”. Cada um lutando sua batalha, mas capaz de tomar e seguir decisões que beneficiem a coletividade. Principalmente pela incerteza da frequência da transmissão da Covid-19, e por esse vírus ter porta de saída e porta de entrada. O caminho do meio é que é o mais difícil de controlar. Então foque na prevenção e higienização. Barre a porta de saída, que é a tosse, o espirro e as gotículas de saliva, usando máscara. E barre as portas de entrada evitando o contato com olhos, nariz e boca com as mãos contaminadas. Higienizar as mãos com álcool em gel, álcool a 70%, agua e sabão é mais importante que usar luvas.

Continue cuidando da sua saúde física e mental, e demonstre um grande amor por você e pelo próximo. É provável que tenhamos que conviver com a Covid-19 assim como ocorre com o HIV. Com tratamentos corretivos e sem pânico, e conscientes de que, como ele é um patógeno novo, é impossível estimar por quanto tempo ele ficará entre nós.


Publicidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *