GenteNotícias

Entrevista com o secretário de Saúde de Gravatá, José Edson, sobre serviços que estão sendo prestados à população

Secretário de Saúde de Gravatá, José Edson

A Prefeitura de Gravatá vem qualificando a rede pública de saúde desde janeiro. E através da Secretaria de Saúde, avança com um trabalho em prol da criação de serviços, melhoria da infraestrutura e qualificação.

E, a quase oito meses de trabalho, a Saúde de Gravatá, que tem a frente o secretário José Edson, apresenta à população atendimento de urgência, emergência, pronto-socorro, agendamento, internação, cirurgia, entre outros serviços.

E para saber mais a respeito desse trabalho de força operacional e objetivos definidos, que vem sendo realizados e atendendo a necessidade de assistência da população, o blog valeriaevocê, bateu um papo com o secretário de Saúde, José Edson.

Acompanhe:

V&V: Como foi chegar a Gravatá promover e proteger uma saúde desacreditada, e estar, junto ao prefeito padre Joselito, a recuperando e garantindo atenção qualificada e continua aos gravataenses?

José Edson: Está sendo cumprir um compromisso firmado pelo prefeito padre Joselito, que nos tempos de campanha, ouvia o clamor da população das comunidades em relação a dificuldade de atendimento, falta de orientação e serviços de assistência na saúde.

“O passo fundamental e inicial colocado pelo prefeito padre Joselito, foi promover a qualidade no acolhimento e a humanização nos serviços de saúde. Então partimos para a premissa de humanizar, organizar e acolher”.

“Depois dessa organização, começamos a perceber às dificuldades de cada setor. Como por exemplo da Atenção Primária, que praticamente não tinha atendimento presencial, os serviços eram via online, e os pacientes com suspeita de Covid-19 não tinham atendimento nas Unidades de Saúde. Eram encaminhados para o hospital, o que causava sobrecarga e uma dificuldade tremenda na capacidade de atendimentos de urgência e emergência, a pacientes Covid e não Covid”.

“As Unidades Básicas de Saúde ficavam praticamente fechadas no dia a dia, e as mulheres não tinham assistência a citologia e a serviços de prevenção adequados e eficientes para detecção, tratamento e reabilitação de doenças, quando necessário”.

“Então, mediante reinvindicação da população, todos os profissionais das UBS foram capacitados, voltaram o atendimento. E os indicadores de citologia, Pre-Natal, cuidados com a criança, hipertensão, diabetes, foram melhorando”.

“Foi criada a Clínica da Mulher, um ambiente especializado e qualificado, que atende o público feminino das mais variadas faixas etárias com uma equipe multidisciplinar formada por profissionais especializados, entre eles: Ginecologista, Obstetra, Enfermeira Obstetra, Mastologista, Endocrinologista, Psicóloga, Nutricionista, Assistente Social e outros”.

“Vale lembrar que a prevenção da saúde do homem que não era feita, e ela está sendo feita, tratada e acompanhada. Agora é preciso que os homens se conscientizem e tenham atenção com o autocuidado, e realizem consultas médicas”.

“As Unidades Básicas de Saúde foram reestruturadas, o atendimento qualificado com equipe de médicos, dentistas e enfermeiros contemplando o atendimento e acompanhamento da população em ambiente separado do hospital Dr. Paulo da Veiga Pessoa”.

“Oferecendo um atendimento humanizado, e proporcionando uma melhor forma de cuidar e alcançar mais resultados de tratamentos e maior satisfação dos pacientes”.

“E melhoramos a questão do Laboratório, porque aqui não se fazia todos os exames. Então passamos a realizar maiss exames, inclusive exames de hormônios e bacteriologia que não tinha em Gravatá, ou seja, exames de cultura já são realizados no sistema público de saúde”.

“E mesmo com a estrutura preparada em nosso laboratório, para realizar esses exames ‘sofisticados’, vamos dizer assim, a nossa economia vai ser de quase R$400.000,00 por ano em relação ao laboratório que se tinha anteriormente”.

“Ou seja, hoje nós fazemos muito mais exames, muito mais ações e uma economia enorme para atender outras esferas da administração.

“Com a Atenção Primária organizada, partimos para organização do hospital Dr. Paulo da Veiga Pessoa. E foi aí, que pensamos em fazer a UTI, e os leitos de retaguarda que servem como pré UTI es UTI. Então o 1º andar do hospital foi totalmente reformado e adaptado para receber a UTI com todos os seus equipamentos, e já vamos para o terceiro mês de funcionamento. E vale salientar que com uma das menores taxas de mortalidade do estado”.

“Apesar de semanas com 100% da taxa de ocupação, com pacientes não apenas de Gravatá, mas pacientes da 4ª região. Tivemos pacientes de Garanhus, Belo Jardim, Pesqueira, Arcoverde, Caruaru e Santa Cruz do Capibaribe. E graças a Deus, pela taxa de mortalidade baixa, atendimento, cuidados com os internados, que quando recebem alta, fazem questão de frisar o bom atendimento e nos premiam com o agradecimento pelo acolhimento”.

V&V: A Secretaria de Saúde, vem garantindo a prevenção, a promoção e o acolhimento da saúde com serviços descentralizados?

José Edson: Diante os serviços descentralizados, vou falar sobre a vacinação, a criação do Centro de Testagem e do Centro de Vacinação.

“Com o início da vacinação contra a Covid-19, nós pensamos em como atender melhor as pessoas mais idosas, que seriam as primeiras vacinadas. E passamos a vacinar nas Unidades Básicas de Saúde, a partir do momento do cadastro na zona rural, e na zona urbana através do aplicativo ConectaGravatá, para facilitar o agendamento das pessoas idosas, e do serviço de drive thru, onde o idoso toma a vacina sem sair de dentro do carro”.

“Também foi implantado o Sistema de Atendimento Domiciliar – SAD, que é uma equipe de médico, técnico de enfermagem, enfermeira, psicólogo, nutricionista, que vai na casa do paciente acamado e faz uma triagem, seja para aplicar a vacina contra a Covid, ou qualquer outro tipo de medicamento. O SAD não veio só para cuidar da vacinação dos pacientes acamados. Tá chegando mais novidades por aí, daqui pro final do ano, aguardem!

“Foi criado o Centro de Testagem, que não só é centro para Covid, ele faz vários tipos de teste, entre eles o da tuberculose e dengue. E com a criação desse centro, demos uma modificada, e de 300 testes/mês, passamos a realizar 3.000 testes/mês, foi um aumento na realização de testes, que possibilitou ao município cuidar melhor dos pacientes com Covid.

“E um Centro de Vacinação que recebe todas as vacinas (covid, poliomielite, H1N1, entre outras) que vem para o município, e está capacitado com sala refrigerada e geladeiras específicas com temperatura adequada para recebimento e armazenamento das vacinas a serem distribuídas em todo município. Que também recebe pessoas comorbidades para vacinação contra a Covid”.

“A vacinação de maior número de pessoas com comordidades, acontece nos Centro de Vacinação da AABB e do EREM Devaldo Borges, porque o objetivo primordial é vacinar a todos”.

V&V: Para o secretário de Saúde, José Edson, não se pode falar de saúde pública sem falar do Sistema Único de Saúde, o famoso SUS?

José Edson: Correto. O Sistema Único de Saúde norteia e é um dos melhores sistemas de saúde pública do mundo, e abrange atendimento para avaliação do simples ao mais complexo problema de saúde, é integral, universal e gratuito, não descrimina ninguém, faz a saúde para todos. E realizou várias adaptações em todos os setores da saúde pública para promover a assistência à população durante a pandemia da Covid, e aderiu aos protocolos emergenciais definidos pelo Ministério da Saúde.

“E além de recrutrar novos profissionais, expandir leitos, comprar recursos como respiradores e insumos. Mostra flexibilidade ao proporcionar a criação de serviço, que se hoje fosse necessária a vacinação de todas as pessoas aqui no município de Gravatá, essa vacinação tem como ser feita. Pois contamos com 22 Unidades Básicas de Saúde, Cento de Vacinação, Centro de Testagem, e duas localidades fixas de vacinação, AABB e do EREM Devaldo Borges para vacinar as pessoas”.

“E temos condições de montar muito mais com o suporte do aplicativo ConectaGravatá, que faz com que nós, Secretaria de Saúde de Gravatá junto ao SUS sejamos eficientes e eficazes”.

“É importante lembrar que o SUS, não só proporciona o bom atendimento, eficiência e eficácia dos serviços aos pacientes de Gravata, mas a todos que vem ao nosso município. Como no último final de semana, que diante o feriado na capital, a cidade lotou, e a quantidade de pessoas de outras localidades que foram atendidas em nosso hospital foi impressionante. E mesmo aquelas pessoas em condições de atendimento home care, se mostraram satisfeitas com os serviços de saúde do hospital Dr. Paulo da Veiga Pessoa”.

“Ficamos sabendo dessa informação, porque o hospital conta com um serviço de acompanhamento de como está sendo o atendimento no dia a dia. E diariamente tem capacidade de informar tudo o que aconteceu, desde quem foi atendido, porque, por quem e quais os procedimentos realizados”.

“E esse tipo de serviço nos possibilita melhorar e ter a saúde qualificada em nossas mãos, é o SUS, um sistema maravilhoso que dá qualidade de atendimento”.

V&V: Como está sendo implantar o funcionamento do Sistema Único de Saúde, e dar condições proativa a população, diante a pandemia da Covid-19?

José Edson: De forma simples, porque é simples apresentar um serviço com atendimento humanizado envolvendo não apenas bons profissionais, mas o atendimento de funcionários satisfeitos, que cuidam das pessoas de forma única, com infraestrutura adequada, medicamentos, segurança, ética e respeito.

”Mais precisamos dizer e apresentar a população de Gravata, o que estamos fazendo e vamos continuar a fazer. Precisamos avançar mais no quesito da comunicação, porque se a população não souber dos serviços que estão acontecendo, ela não vai entender o que está sendo feito, aproveitar e participar ativamente de todos os benefícios que estão sendo proporcionados pela Saúde gravataense. Então é fundamental falar fácil, para que os serviços e benefícios de saúde cheguem a população e ela o utilize”.

V&V: Gravatá conta com serviços da Atenção Primária, que são constituídos pelas unidades UBS, como funciona esses serviços?

José Edson: As Unidades Básicas de Saúde é a porta de entrada de duas ações integradas de atendimento, a clínica médica e a odontológica. Por exemplo, se sentiu mal e não sabe o que é, vai para uma UBS, se for possível, o paciente vai ser tratado e encaminhado para casa, senão, ele vai ser encaminhado para o hospital. E dependendo do tipo de atendimento, o acompanhamento do dia a dia que tem sido aprimorado diariamente, deve ser feito pelas UBS.

“Mas o tratamento do dia a dia, vai continuar sendo feito pelas UBS, que estão com suporte de médicos e enfermeiros. Enfermeiros que garantem que as UBS funcionem, e que prestem atendimento com medicamentos básicos para os pacientes hipertensos, diabéticos, com gripe, com pneumonia, entre outros. Aí vem o técnico de enfermagem, que é quem aplica o medicamento e muitas vezes orienta na distribuição dos remédios”.

V&V: Como funciona o serviço de assistência farmacêutica da Secretaria de Saúde para a população?

José Edson: Nós temos a Central de Abastecimento Farmacêutico – CAF, que funciona na rua do Norte, recebe toda medicação. Medicação que é distribuída conforme a solicitação feita, semanalmente pelo hospital Dr. Paulo da Veiga Pessoa, e mensalmente pelas Unidade Básica de Saúde da zona urbana e rural, Posto I, CAPS, e se faltar alguma medicação antes do final do mês, pode ser feito um pedido extra, mas normalmente, a medicação dá e sobra para o mês seguinte.

Esses e outros serviços foram implantados pela Prefeitura de Gravata, através da Secretaria de Saúde, e precisam da participação da população para a contínua regularidade e qualificado funcionamento da saúde pública gravataense.

E para que isso aconteça, a população conta com o serviço da Ouvidoria SUS de Gravatá, que é o canal que o cidadão formaliza qualquer tipo de manifestação; solicitação de serviço; pode denunciar a qualidade do atendimento recebido; e até mesmo fazer uma sugestão.

V&V: Dr. Edson, quais os serviços de saúde SUS que a população já pode contar?

José Edson: Além da realização de procedimentos médicos de média e alta complexidade, que já existiam e foram qualificados, a população gravataense pode contar com:

  • Requalificação das Unidades Básicas de Saúde – Com incentivo a potencialização de todas as ações estratégicas desse segmento em saúde;
  • Centro de Testagem;
  • Centro de Vacinação;
  • Clínica da Mulher;
  • Requalificação física da USF Russinha e Casa Nova;
  • 10 leitos de UTI Covid-19;
  • 08 leitos de retaguarda;
  • Central de Regulação;
  • Ampliação do número de profissionais da rede especializada;
  • Criação do Disk Covid-19;
  • Implantação do Serviço de Atenção Domiciliar – SAD.

V&V: Para entendermos melhor, como funciona a Ouvidoria SUS?

José Edson: Ela funciona de fato e de direito, é registrada no Ministério da Saúde, e dá a oportunidade da participação dos cidadãos. Pois, todas as Unidades de Saúde, tem urna com formulário para ser preenchido por qualquer cidadão e ser colocado na urna. E a cada quinzena, é feito um relatório com quais dificuldades estão sendo encontradas, quais as preocupações e sugestões dos cidadãos. A partir de então, vai ser repassada para a coordenação responsável pela unidade que recebeu a manifestação, para ser resolvida e melhorada a qualidade do serviço com a orientação da coordenação responsável.

“O cidadão pode acompanhar o seu encaminhamento através de um link que será repassado para ele. E vale ressaltar que a Ouvidoria não realiza apurações de denúncias de irregularidades e infrações (disciplina e processo administrativo) ou desempenha ações de assistencialismo e paternalismo, nem atua como central de atendimento ou pedido de informações”.

“Nós buscamos através da Ouvidoria, reestruturação na organização e melhor atendimento nas 22 Unidades Básicas de Saúde, na abertura de mais 02 unidades e requalificação da UBS Nossa Senhora das Graças.

“E temos também o Serviço de Regulação de Gravatá, para atender aos usuários que precisam de orientações e encaminhamentos do SUS, que conta com equipe técnica para ofertar atendimento de acolhimento, acessibilidade e atendimento para marcação de consulta, marcação de exame ou mesmo encaminhamento para tratamento. E essas pessoas que têm problemas de saúde, podem contar com a Central de Transporte e Casa de Apoio para que seu problema seja tratado e solucionado.

No momento em que grande parte dos municípios sofrem com os efeitos da pandemia, o de Gravatá sofre junto com um diferencial do sistema de saúde, que vem se estruturando no combate a pandemia e na prestação de serviços do Sistema Único de Saúde SUS, à toda população.

Um direito que está sendo proporcionado pela gestão atual

V&V: Como a população pode ter acesso aos serviços SUS?

José Edson: Através do Cartão do SUS ou número do CPF, qualquer cidadão é atendido em sua Unidade Básica de Saúde. Caso ele vá a uma unidade que não é a sua de acordo com a sua residência, ele será orientado. E se ele for a Central de Regulação, próximo da SUCAM, ele também receberá orientação.

“Todo cidadão gravataense que precisar, vai encontrar informação, orientação e encaminhamentos com os secretários executivos da pasta da saúde, Frailan Mota e Maria Araújo”.

V&V: A saúde já tem metas estabelecidas e a caminho nesse segundo semestre de 2021?

José Edson: Sim. Começamos com o Convênio do SERC com o SUS para dar continuidade a um serviço excelência da cidade de Gravatá, e promovendo a continuidade desse atendimento no CIG, quando a criança e adolescente chegar a faixa etária limite no SERC. E queremos dar continuidade com a entrega da UPA de Gravatá, a população no mês de setembro; com as UBS da COHAB II e Paquistão; a implantação do serviço Saúde na Hora, que vai estender o horário da prestação de serviços das UBSs para atender as pessoas que trabalham durante o dia; a Academia da Saúde: a entrega da Casa de Apoio em Recife, após reforma com serviço de acolhimento, técnico de enfermagem e lanche. E como já falei, a requalificação da UBS Nossa Senhora das Graças em novo endereço com melhores condições de atendimento; uma Horta de fitoterapia para implantar a Farmácia Viva e implantar medicamentos fitoterápicos para distribuir com a população.

Nessa entrevista realizada com o secretário de Saúde, Dr. José Edson, ele foi porta voz do prefeito, padre Joselito, que mesmo antes do início da sua gestão, solicitou que todo serviço de saúde feito pela secretaria, fosse com qualidade e vendo as pessoas em primeiro lugar.


Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *