GenteNotícias

Em meio à pandemia, a Secretaria de Assistência Social e Juventude é peça fundamental

A secretária Ana Lourdes, os profissionais e equipe que reforçam a importância dos trabalhos em relação às políticas públicas, têm atuado e feito o diferencial junto às famílias em tempo da pandemia causada pelo novo coronavírus, com ações voltadas para a garantia dos seus direitos, dias melhores e alimentação saudável.

De forma articulada, aos demais profissionais da saúde e das políticas sociais, a secretária Ana Lourdes vem contribuindo para garantir que todos sejam bem tratados com dignidade, tanto nos centros de assistência, como em diversas áreas e esferas do município, diante da crise da Covid-19.

Para a secretária Ana Lourdes, os desafios são muitos e tem aumentado diante essa mudança necessária e brusca, que atinge os hábitos e cuidados com a crise da pandemia do novo coronavírus. Porém quando a missão é assegurar a proteção Social e Garantia dos Direitos, a sensação do dever cumprido compensa todas as lutas e desafios.

Acompanhe o bate papo do blog valeriaevoce com a secretária de Assistência Social e Juventude, Ana Lourdes.

Secretária de Assistência Social e Juventude, Ana Lourdes Andrade

V&V: A Secretaria de Assistência Social tem desenvolvido papel fundamental durante a pandemia. Como secretária, quais têm sido seus principais desafios?

Ana Lourdes – Secretária Assistência Social: Para a Secretaria de Assistência Social, nosso principal desafio é garantir o pleno funcionamento de todos os serviços, garantindo proteção social ao gravataense e protegendo o seu profissional do coronavírus.  O momento em que vivemos amplia significativamente as vulnerabilidades sociais, por isso, temos serviços que funcionam 24h. Vale ressaltar que todos os serviços, programas e projetos da Secretaria de Assistência Social e Juventude estão funcionando.

V&V: A Secretaria de Assistência Social intensificou o atendimento à população durante a quarentena. Como funciona esse trabalho? O que mudou?

Ana Lourdes – Secretária Assistência Social: Nós estamos garantindo o pleno funcionamento dos serviços, programas e projetos, por recomendação do governo federal de forma remota e presencial. Os funcionários com mais 65 anos e com doenças crônicas estão trabalhando de forma remota, incentivando e mantendo os grupos de convivência de crianças, adolescentes e principalmente os idosos que sofrem mais com o isolamento social.

V&V: Quantas famílias já foram atendidas pela Secretaria de Assistência Social desde o início da quarentena e com qual tipo de ajuda?

Ana Lourdes – Secretária Assistência Social: Os CRAS vêm atendendo de forma preventiva as famílias e indivíduos no quadro territórios subdivididos de Gravatá, de forma a atender a zona urbana e rural de todo município com atendimento de fortalecimento dos vínculos familiares e viabilização de benefícios eventuais, como: cesta básica, auxílio funeral, entre outros. O CREAS municipal está tendo as medidas de proteção e a equipe de abordagem de rua que vem trabalhando diuturnamente, identificando as violações de direito e organizando a população de rua em um abrigo provisório, em uma pousada localizada na nossa cidade. Nossa unidade de acolhimento institucional infantojuvenil está em pleno funcionamento, serviço ofertado 24h com todo cuidado nesse momento de pandemia. Serviço do Cadastro Único.

V&V: Você acredita que fatos como o aumento de demissões, fechamento de comércios e impedimento do trabalho de profissionais autônomos, durante a quarentena, estão gerando um aumento significativo no número de gravataenses que vivem em situação de vulnerabilidade?

Ana Lourdes – Secretária Assistência Social: No cenário nacional vislumbramos uma projeção de queda 10% do PIB, isso acontecerá de modo nacional, porém, nossa equipe vem trabalhando com levantamentos de diagnósticos sociais e socioeconômicos a fim de minorar essa projeção em nosso município. A vigilância socioassistencial da secretaria vem desenvolvendo esse plano de retomada social.

V&V: Como você avalia o trabalho desenvolvido pela Secretaria de Assistência Social neste momento de crise?

Ana Lourdes – Secretária Assistência Social: Momento desafiador que requer da gestão alta atenção e sensibilidade. Além das questões técnicas, observo a subjetividade de cada família atendida em sua particularidade. É um momento onde as famílias estão convivendo com suas diferenças 24h, e nós precisamos ter sensibilidade está mais apurada.

V&V: Pontue as principais ações da Prefeitura, no que se refere à assistência social, durante o período de pandemia. O que foi feito até o momento para garantir auxílio à população?

Ana Lourdes – Secretária Assistência Social: Sou suspeita em falar do gestor que tenho tanto afeto e estima por ele, mas observo que à todo momento ele caminha ao meu lado. A secretaria regesse pelo pacto federativo do SUAS onde o financiamento é federal, estadual e municipal. Por muitas vezes o nosso gestor tem mantido nossas despesas quando algum ente federado não repassa o compromisso. É nosso gestor que muitas vezes está aqui observando nossas intervenções e vai atrás de emendas parlamentares e projetos como MINHA CASA MINHA VIDA. Nosso material é humano, nossa essência é por muitas vezes subjetiva. nosso trabalho árduo, mais de muita satisfação.

V&V: Qual a importância do trabalho dos assistentes sociais, principalmente em momentos de crise?

Ana Lourdes – Secretária Assistência Social: O trabalho do serviço social é vital para uma gestão municipal, seja ele em tempos ditos normais, ou seja ele em um momento de calamidade pública ou pandemia. A política de assistência social é organizada em capacidade de oferta e a garantia das seguranças sociais. Essa secretaria vai além da questão da distribuição de cesta básica (que também é importante como intervenção), ela resgata a capacidade subjetiva das famílias se perceberem e criar um espaço de proteção social entre o núcleo familiar e a comunidade-sociedade. É muitas vezes observar a situação da família que chegou ao CRAS desalentada e depois da intervenção técnica, as crianças voltarem para a escola, ter sua garantia de saúde e essa MÃE participar de uma oficina de geração de renda e sair da exclusão.

V&V: Caso um cidadão que não é cadastrado em nenhum programa assistencial comece a enfrentar dificuldades, como ele deve proceder para conseguir ajuda?

Ana Lourdes – Secretária Assistência Social: Como já mencionei anteriormente, ele(a) deverá procurar o CRAS para atendimento técnico e nesse momento é observada as demandas. O técnico elabora um plano de atendimento inicial e verifica as vulnerabilidades e potencialidades acometida pelo indivíduo e ou por seu núcleo familiar e escalona junto a ela as previsões e necessidades do seu grupo familiar. O município de Gravatá conta com 4 CRAS descentralizados, dentro das comunidade de maior vulnerabilidade para estar junto do cidadão gravataense.

O blog valeriaevoce agradece a secretária de Assistência Social e Juventude, Ana Lourdes Andrade, pela entrevista concedida em meio ao ritmo do importante trabalho diário na conscientização, orientação e suporte as pessoas e famílias em situação de vulnerabilidade.


Publicidade

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *